sábado, 22 de novembro de 2008

Porcentagem

Harlen E. Amundson

A porcentagem passou a ser utilizada no final do século XV em questões comerciais, como cálculo de juros, lucros e prejuízos e impostos. A idéia, porém, teve origem muito antes. Quando o imperador romano Augusto estabeleceu um imposto sobre todas as mercadorias em hasta pública, centesima rerum venalium, a taxa era 1/100. Outras taxas romanas eram de 1/20 sobre cada escravo libertado e 1/25 sobre cada escravo vendido. Sem reconhecer porcentagens como tal, os romanos usavam frações facilmente redutíveis a centésimos.

Na Idade Média, na medida em que unidades monetárias maiores entraram em uso, 100 tornou-se uma base comum para a computação. Manuscritos italianos do século XV continham expressões como "20 p 100", "x p cento" e "vi p co" para indicar 20 por cento, 10 por cento e 6 por cento. Quando apareceram aritméticas comerciais, perto do final desse mesmo século, o uso da porcentagem já estava bem estabelecido. Por exemplo, Giorgio Chiariano (1481) usava "xx . per . c" para representar 20 por cento e "viii in x perceto" para 8 a 10 por cento. Durante os séculos XVI e XVII, usava-se porcentagem amplamente para calcular lucros, prejuízos e lucros.

O sinal de porcentagem, %, provavelmente proveio de um símbolo introduzido num manuscrito italiano anônimo de 1425. Em vez de "per 100" ou "P cento", que eram comuns naquele tempo, o autor usou "P ". Por volta de 1650 o torna-se , sendo "per ", usado com freqüência. Finalmente o "per" foi suprimido, permanecendo ou %.[1]

[1] Tópicos da História da Matemática - Para uso em sala de aula. v. 2, Computação, Harold T. Davis, Atual, Cápsula 15, págs. 64 e 65

Reis, Ismael. Fundamentos da Matemática V6, Editora Moderna, 1996.


0 comentários:

Postar um comentário